CENTRAL DE VENDAS:

4005.9535

* Custo de ligação local

CENTRAL DE ATENDIMENTO:

(16) 2103.3535

16/02/2016 - CONSÓRCIO X FINANCIAMENTO

Antes de comprometer boa parte do orçamento com a prestação de um bem (carro, moto ou casa) e despesas adicionais (como combustível, seguro, IPVA, IPTU), tire um tempo para fazer uma comparação entre consórcio e financiamento para descobrir qual delas se adapta melhor ao seu perfil.

 


Financiamento


Entrar em uma concessionária, fechar um financiamento e sair dirigindo seu carro ou moto, ou ainda já sair com o dinheiro para construção ou reforma de sua casa é ótimo, mas tem um preço (bem salgado). Vale lembrar que a taxa de financiamento tem sido afetada pelo recente avanço da Selic, recentemente no maior patamar dos últimos dez anos.


Ou consórcio?


Nesse cenário, especialistas em finanças pessoais avaliam que o financiamento só deveria ser cogitado nos casos em que a pessoa realmente precisa do bem no ato. Para quem pode esperar, o consórcio é uma alternativa mais interessante. Embora não sejam cobrados juros nessa modalidade, há uma taxa de administração de 0,77% ao mês em média.
"Falando apenas do ponto de vista financeiro, o consórcio é muito melhor do que um financiamento", indica Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo de estudos e pesquisas econômicas da Anefac.
Veja uma simulação feita com base em um financiamento e consórcio de carro.

 

 

Por causa desse custo menor, o consórcio segue conquistando novas adesões. Prova disso é que o financiamento imobiliário caiu 33% em 2015. De acordo com a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), o Brasil tem hoje 7,13 bilhões de consorciados ativos. E 2,15 milhões desses negócios foram abertos entre janeiro e novembro de 2015. Foi um aumento de 1,9% na procura perante o mesmo período de 2014.


Mas o diretor regional da Abac acredita que outros fatores também contribuíram para o crescimento do setor. Freire lembra que, no ano passado, o governo restringiu a oferta de crédito imobiliário, ao cobrar entradas de pelo menos 50%. Por isso, financiar uma casa ficou ainda mais difícil. "E a busca de alternativas mais baratas para compras parceladas também mostra o amadurecimento do consumidor", acrescenta.


"O custo financeiro do consórcio é menor, mas a desvantagem é que a pessoa pode ter de esperar até o fim do período para comprar o bem", acrescenta Oliveira, da Anefac. Para ser contemplado com uma carta de crédito no valor do automóvel, o consorciado precisa ser sorteado ou vencer por meio de lance mais alto que os outros participantes, de acordo com as regras da administradora.


 

Pesquise bem e evite dor de cabeça


Se decidir comprar com o financiamento, fique de olho nos juros cobrados pelos bancos. Não tem outro jeito – se quiser conseguir uma taxa melhor, pesquise, pesquise e pesquise!


Para quem optar por um consórcio, é preciso ter certeza que a administradora é devidamente autorizada pelo Banco Central (veja aqui a lista completa). Outro ponto importante é ler com bastante atenção o contrato e só fechar o negócio se estiver certo de que entendeu bem o funcionamento do consórcio.

Assegure-se de que tudo o que foi prometido está detalhado no contrato. Além disso, também vale a pena o trabalho de fazer cotações com diferentes administradoras de consórcio para escolher a que oferece o menor custo total.